Pergunta – Existe uma fórmula para se  manter jovem por mais  tempo?

Oz – Sim. O primeiro passo para  alcançar esse objetivo é pensar não na possibilidade de ficar doente, mas na  necessidade de manter o organismo  saudável. Deve-se tirar o foco da prevenção dos males e  direcioná-lo para a  preservação da saúde.

Pergunta – O que fazer para evitar que o corpo se torne frágil e vulnerável?
Oz – Os exercícios físicos são uma ferramenta essencial. Eles combatem o primeiro   sinal do envelhecimento, que é a perda de força muscular. Outro recurso importante é  alimentar-se bem. Uma boa recomendação é a prática do Tai Chi Chuan, exercício oriental que combina equilíbrio, coordenação motora e também meditação. O principal, mas também o mais difícil é controlar a quantidade dos alimentos. De qualquer forma, todo mundo deve  comer um pouco menos do que tem vontade.

Pergunta – Fazer várias  pequenas refeições por dia, como recomendam alguns   médicos, faz bem para a saúde?

Oz – Deve-se comer de  três em três horas. Se o intervalo é maior, a  taxa de hormônio, que estimula a fome,  começa a subir. O problema é  que, após uma  refeição, ainda demora trinta minutos para que a  taxa desse  hormônio volte a baixar. Em  conseqüência disso acaba-se comendo mais do que se deveria.

Pergunta – Os hábitos que o senhor propõe para prolongar a vida são relativamente simples, mas exigem controle  estrito sobre as atividades do  dia-a-dia.  Como exercer esse  controle?

Oz – Fazer desses hábitos uma rotina, sem precisar pensar muito neles. Beber muito líquido ao longo do dia, principalmente água e chá verde. Dormir ao menos sete horas por  noite. Durante o sono se produz o hormônio do crescimento, essencial mesmo para quem já é  adulto, pois prolonga a juventude. Caminhar meia hora por dia e praticar exercícios que façam suar três vezes por semana. Uma  última coisa: estreitar  o relacionamento  com as pessoas próximas e abster-se de julgá-las. Em vez de  julgar os outros, é melhor tomar  conta de si próprio.

Pergunta  – Abster-se de julgar os outros ajuda a  manter a juventude?

Oz – Sim, da mesma  forma que resolver situações de  conflito. O conflito não traz nada de positivo. É  apenas desgastante. Costumo recomendar aos meus  pacientes que procurem as pessoas com quem mantêm uma relação difícil e tentem resolver o impasse.

Pergunta – O que o senhor  acha das dietas para emagrecer que surgem e viram   moda a cada seis  meses?

Oz – Essas dietas fazem sucesso, mas são péssimas para a  saúde.
A alimentação não deve ser encarada como uma  maratona para a perda de peso. Uma dieta que tenha como chamariz o emagrecimento rápido não é  confiável. Comer menos do que o corpo  necessita é uma agressão à fisiologia. Ou seja, aos processos químicos que fazem o organismo funcionar. Quando a fisiologia é desprezada, os resultados das dietas são transitórios, passageiros.

Pergunta – Por que o senhor recomenda cuidados com o jantar?

Oz – Na verdade, há uma única regra a observar: deve-se jantar pelo  menos três horas antes de dormir. Deitar logo após a  refeição facilita o acúmulo de gordura,  principalmente na cintura. Além disso, comer muito  tarde  prejudica o sono.

Fonte: Revista Veja