O dia 2 de abril é festejado em mais de sessenta países, em razão do nascimento, em 1805, do poeta e novelista Hans Christian Andersen, na Dinamarca. Cabe a ele o honroso título de “criador da literatura infantil internacional”. Ao acrescentar o elemento lúdico às suas histórias, como bichos e objetos falantes, ele mudou o rumo da literatura infantil. Embora fosse de origem pobre, isso não constituiu uma barreira para que se tornasse o mais conhecido escritor dinamarquês, com livros que até hoje encantam as crianças do mundo inteiro. Sua obra se estendeu aos clássicos infantis, consagrados em todo o mundo, como: A Vendedora de Fósforos, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei, O Patinho Feio, O Soldadinho de Chumbo, O Rouxinol. Há escritores brasileiros que contribuíram muito para a literatura infantil, como Monteiro Lobato e Vicente Guimarães. O primeiro criou a famosa boneca Emília e contou suas aventuras nas obras Reinações de Narizinho, Viagem ao Céu, O Saci, Caçadas de Pedrinho, Serões de Dona Benta, O pica-pau amarelo etc., repletas da riqueza de nossas lendas e do nosso folclore. Pela importância de sua obra, o Brasil adotou a data de seu nascimento – 18 de abril – para festejar nacionalmente o livro infantil.