É um  termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (do inglês bully,  “tiranete”  ou  “valentão”)  ou  grupo  de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro  indivíduo  (ou  grupo  de  indivíduos) incapaz(es) de se defender. Também existem as vítimas/agressoras,  ou autores/alvos,  que  em determinados  momentos  cometem  agressões, porém  também são vítimas de assédio escolar pela  turma.

Tipos de assédio escolar

    Os bullies usam principalmente uma combinação de intimidação e humilhação para atormentar os outros. Alguns exemplos das técnicas de assédio escolar:

–  Insultar a vítima;
–  Acusar  sistematicamente  a vítima de não servir para nada;
–  Ataques  físicos repet idos  cont ra uma  pessoa,  seja  contra  o  corpo  dela  ou propriedade.
–  Interferir  com  a  propriedade  pessoal  de  uma pessoa,  livros  ou material  escolar,  roupas,  etc, danificando-os.
– Espalhar  rumores negativos sobre a vítima;
– Depreciar a vítima sem qualquer motivo;
– Fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando-a para seguir as ordens;
– Colocar a vítima em situação problemática com alguém  (geralmente,  uma  autoridade),  ou conseguir uma ação disciplinar contra a vítima, por  algo  que  ela  não  cometeu  ou  que  foi exagerado pelo bully;
– Fazer comentários depreciativos sobre a  família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade  ou  qualquer  outra  inferioridade depreendida  da  qual  o  bully  tenha  tomado ciência;
–  Isolamento social da vítima;
– Usar as tecnologias de informação para praticar o  cyberbul lying  (cr iar   páginas  falsas,  comunidades ou perfis sobre a vítima em sites de relacionamento com publicação de  fotos etc);
– Chantagem.
– Expressões ameaçadoras;
– Grafitagem depreciativa;
– Usar de sarcasmo evidente para se passar por amigo (para alguém de fora) enquanto assegura o controle e a posição em relação à vítima (isto ocorre com frequência logo após o bully avaliar que a pessoa é uma  “vítima perfeita”).
– Fazer que a vítima passe vergonha na frente de várias pessoas.