É fundamental sabermos nos comunicar tanto na forma oral, quanto na escrita. Porém para que haja um bom escritor é necessária a leitura. É ela que irá dar suporte para a escrita, já que, através dela aumentamos nosso conhecimento e nosso vocabulário. Assim, a leitura e a escrita devem andar juntas.

Quando pedimos aos nossos alunos para que produzam um texto, muitas vezes ouvimos certas reclamações, porém esta prática é necessária para que possam desenvolver a escrita e a capacidade de expor suas ideias. Mas não se deve esquecer que nesta atividade o professor também deve fazer o seu papel. Não se pode querer que os alunos tenham inspiração para escrever no momento em que nós professores determinarmos se não aguçarmos a imaginação deles. Antes de solicitar que escrevam, devemos levar textos para que eles leiam. Se quisermos que nossos alunos escrevam um texto narrativo, por exemplo, devemos levar textos narrativos até eles. Também, de nada adianta pedir textos sem objetivos concretos. Pedir que escrevam somente por escrever, não irá somar em nada no conhecimento deles.

Para fazer com que os alunos escrevam bons textos há várias atividades que podemos desenvolver com eles. Por exemplo: contar histórias e pedir que as continuem que escrevam o final da mesma; escrever histórias a partir de desenhos; dar um tema para que escrevam sobre ele, fazer leituras de imagem entre outros. Quando os alunos dominarem este tipo de atividade poderemos, de acordo com cada ano ou série, pedir atividades mais complexas que abordem os tipos textuais: narrativo, descritivo, argumentativo, dissertativo e injuntivo. É importante também, trabalhar cada tipo textual de uma vez, para que os alunos possam de fato assimilá-lo. Devemos também sempre variar os gêneros textuais que levamos até a sala de aula, já que eles são muitos, para que nossos alunos tenham contato com o máximo de gêneros possíveis. Também não se devem confundir os tipos textuais que já foram citados acima, com gêneros textuais. Os gêneros são os textos em si, por exemplo, receitas, bulas de remédio, fábulas, histórias em quadrinhos, poemas, apólogos, cartas, crônicas etc.

Dessa forma, estaremos realmente fazendo com que nossos alunos, além de bons leitores se tornem também bons escritores, pois no mundo em que vivemos é necessário sabermos nos expressar corretamente e argumentar sobre o que achamos relevante e isso, só iremos conseguir por meio da leitura e da escrita.

Por Francieli Dallabrida
Professora de Inglês da Escola Inspetor João Ferraz