Início

Festa de São João 2012

Deixe um comentário

Casamento Caipira, interpretado pelos alunos da Escola José Bonifácio, na Festa de São João do educandário em 2012.

Anúncios

Para Refletir

Deixe um comentário

Formação de Animadores em Educação do Campo para a Erradicação da Pobreza

1 Comentário

O curso em questão teve seu início oficial no dia 24 de maio e possui uma média de trinta alunos. O curso que terá duração de um ano, realizará um encontro a cada mês. Os Eixos Temáticos em foco são: História da Agricultura do Território Regional, Metodologia da Pesquisa Participante e a Educação do Campo, Constituição do Solo e dos Ecossistemas e seus usos, Economia Solidária e a Função da Agricultura Camponesa, Sistematização das Pesquisas e Construção de Relatório, Produção de Material Didático.

No segundo encontro, foram realizadas atividades de reconhecimento e integração do grupo. As atividades foram conduzidas pelos professores Antônio Carlos Moreira e Fátima Marangon da URI, que prosseguirão durante todo o curso.

Curso de Formação em Educação do Campo Inicia no Município

1 Comentário

Este slideshow necessita de JavaScript.

O curso de Formação de Animadores em Educação do Campo para a Erradicação da Pobreza, teve sua inauguração no município no dia 16 de maio, contando com a participação de autoridades de outros municípios vizinhos e dos professores da Universidade Regional Integrada (URI) Antônio Carlos Moreira e Fátima Marangon. O Objetivo geral deste curso é entender a realidade do Território da Cidadania do Médio Alto Uruguai – RS por meio de pesquisas e metodologias participantes vinculadas à Educação do Campo na perspectiva de apontar propostas para a diminuição da pobreza extrema, capacitando a população local a fim de que produza e consuma produtos agrícolas agroecológicos e com sustentabilidade natural, econômica,  social,  política e cultural. Os municípios do Consórcio Público Intermunicipal de Inclusão Social e Produtiva – CISP:  Lajeado do Bugre, Sagrada Família e São Pedro das Missões, são os municípios alvo desse curso. O público-alvo é a população em vulnerabilidade social,  Professores Municipais e Estaduais, Emater, Secretarias Municipais, Agentes Sociais, Pastorais, Agricultores, Jovens e demais interessados em integrar a equipe de animadores. O número total de participantes é de 90 pessoas, sendo 30 de cada município.

Sete Passos para o Controle do Ego

Deixe um comentário

SETE PASSOS PARA O CONTROLE DO EGO

1. Pare de se sentir ofendido.

O comportamento de outras pessoas não é motivo para se sentir imobilizado.
Existe a ofensa apenas quando você se enfraquece.
Se procurar por situações que o aborreça, as encontrará em cada esquina.
É o ego no controle convencendo você que o mundo não deveria ser do jeito que é.
Mas é possível tornar-se um observador da vida e alinhar-se com o Espírito da Criação universal.
Não se alcança o poder da intenção sentindo-se ofendido.

Procure erradicar, de todas as formas possíveis, os horrores do mundo que emanam da identificação maciça do ego, e esteja em paz.
A paz está em Deus e você que é parte Dele só retorna ao lar em Sua paz.
O Ser está em Deus e você que é parte Dele só retorna ao lar em Sua paz.
Ficar ofendido cria o mesmo tipo de energia destrutiva que a princípio o feriu, e leva a agressão, ao contra-ataque e a guerra.

2. Abandone o querer vencer.

O ego adora nos dividir entre ganhadores e perdedores.
A busca pela vitória é a forma infalível de evitar o contato consciente com a intenção.
Por quê? Porque basicamente é impossível vencer sempre.
Algumas pessoas serão mais rápidas, mais sortudas, mais jovens, mais fortes e mais espertas que você e acabará se sentindo insignificante e sem valor diante delas.

Você não se resume as suas conquistas e vitórias.
Uma coisa é gostar de competir e se divertir num mundo onde vencer é tudo, mas não precisa ser assim em seus pensamentos.
Não há perdedores num mundo onde todos compartilham da mesma fonte de energia.
Só se pode afirmar que, em determinado dia, sua atuação esteve num certo nível comparada a outras.
Mas cada dia é diferente, com outros competidores e novas situações a serem consideradas.
Você continua sendo a infinita presença num corpo que está a cada dia ou a cada década, mais velho.

3. Abandone o querer estar certo.

O ego é a raiz de muitos conflitos e desavenças porque o impulsiona julgar as pessoas como erradas.
Quando a pessoa é hostil, houve uma desconexão com o poder da intenção.
O Espírito de Criação é generoso, amoroso e receptivo; e livre de raiva, ressentimento ou amargura.
Cessar a necessidade de ter razão nas discussões e nos relacionamentos é como dizer ao ego:
“Não sou seu escravo. Quero me tornar generoso. Quero rejeitar a necessidade de ter razão.

Dê a oportunidade de se sentir bem dizendo a outra pessoa que ela está certa e agradeça-a por lhe direcionar ao caminho da verdade”.
Ao deixar de querer ter razão, você fortalece a conexão com o poder da intenção.
Mas fique atento, pois o ego é um combatente determinado.

Tenho visto pessoas terminarem lindos relacionamentos por apego a necessidade de estarem certas.
Preste atenção à vontade controlada pelo ego.
Quando estiver no meio de uma discussão, pergunte a si mesmo; “Quero estar certo ou ser feliz?”
Ao optar por ser feliz, amoroso e predisposto espiritualmente, a conexão com a intenção se fortalecerá.
Esses momentos expandem novas conexões com o poder da intenção.

A Fonte universal começará a colaborar com você para uma vida criativa ao qual foi predestinado a viver.

4. Abandone o querer ser superior.

A verdadeira nobreza não é uma questão de ser melhor que os outros.
É uma questão de ser melhor ao que você era.
Concentre-se em seu crescimento, consciente de que ninguém neste planeta é melhor que ninguém.
Todos nós emanamos da mesma força de vida criadora.

Todos temos a missão de realizar nossa pretendida essência, tudo que precisamos para cumprir nosso destino está ao nosso alcance.
Mas nada é possível quando nos sentimos superiores aos outros.
É um velho ditado e, todavia, verdadeiro: somos todos iguais aos olhos de Deus.

Abandone a necessidade de sentir-se superior, perceba a expansão de Deus em cada um.
Não julgue as pessoas pelas aparências, conquistas, posses e outros índices do ego.
Ao projetar sentimentos de superioridade retorna a você sentimentos de ressentimentos e até hostilidade.
Esses sentimentos são veículos que os levam para longe da intenção.
A distinção sempre leva a comparações.

Baseia-se na falta vista no outro, e se mantém pela procura e ostentação das falhas percebidas.

5. Deixe de querer ter mais.

O mantra do ego é “mais”.
Ele nunca está satisfeito.
Não importa o quanto conquistou ou conseguiu, o ego insiste que ainda não é o suficiente.
Ele põe você num estado perpétuo de busca e elimina a possibilidade de chegada.

Na realidade, você já está lá e a forma que opta para usar esse momento presente da vida é uma escolha.
Ao cessar essa necessidade por mais, as coisas que mais deseja começam a chegar até você.
Sem o apego da posse, fica mais fácil compartilhar com os outros.
Você percebe o pouco que precisa para estar satisfeito e em paz.
A Fonte universal é feliz nela mesma, expande-se e cria vida nova constantemente.

Nunca obstrui suas criações por razões egoístas.
Cria e deixa ir.
Ao cessar a necessidade do ego de ter mais, você se unifica com a Fonte.
Como um apreciador de tudo que aparece, aprende a lição poderosa de São Francisco de Assis:
“É dando que se recebe”.
Ao permitir que a abundância lhe banhe, você se alinha com a Fonte e deixa essa energia fluir.

6. Abandone a idéia de você baseado em seus feitos.

É um conceito difícil quando se acredita que a pessoa é o que ela realiza.
Deus compõe todas as músicas.
Deus constrói todos os prédios.

Deus é a fonte de todas as realizações.
Posso ouvir os egos protestando em alto e bom som.
Mas, vá se afinizando com essa idéia.
Tudo emana da Fonte!
Você e a Fonte são um só! Você não é esse corpo ou os seus feitos.

Você é um observador.
Veja tudo ao seu redor e seja grato pelas habilidades acumuladas.
Todo crédito pertence ao poder da intenção, o qual lhe fez existir e do qual você é uma parte materializada.
Quanto menos atribuir a si mesmo suas realizações, mais conectado estará com as sete faces da intenção, mais livre será para realizar e muito aparecerá em seu caminho.
Quando nos apegamos às realizações e acreditamos que as conseguimos sozinhos abandonamos a paz e a gratidão à Fonte.

7. Deixe sua reputação de lado.

Sua reputação não está localizada em você.
Ela reside na mente dos outros.
Você não tem controle algum sobre isso.
Ao falar para 30 pessoas, terá 30 imagens.
Conectar-se com a intenção significa ouvir o coração e direcionar sua vida baseado no que a voz interior lhe diz.
Esse é o seu propósito aqui.

Ao preocupar-se demasiadamente em como está sendo visto pelos outros, mostra que seu Ser está desconectado com a intenção e está sendo guiando pelas opiniões alheias.
É o seu ego no controle.

É uma ilusão que se levanta entre você e o poder da intenção.
Não há nada a fazer, a não ser que você se desconecte da fonte de poder convencido de que seu propósito é provar o quão poderoso e superior é, desperdiçando sua energia na tentativa de obter uma reputação maior entre outros egos.
Faça o que fizer, guie-se sempre pela voz interior conectada e seja grato à Fonte.

Atenha-se ao propósito, desapegue-se dos resultados e assuma a responsabilidade do que reside dentro de você: seu caráter.
Deixe os outros discutirem sobre a sua reputação, isso não interessa.

© 2008 Direitos Autorais Dr. Wayne W Dyer

http://www.luzdegaia.org/aajuda/itextos/sete_ego.htm

Apresentação do Dias das Mães na Escola Inspetor João Ferraz (2012)

Deixe um comentário

Apresentações realizadas no dia 12 de maio pelo turno da manhã, em comemoração ao Dia das Mães, na Escola Inspetor João Ferraz. Pré à 8ª série.

Alunos da 8ª série.

 

Alunos do pré B.

 

Alunos do 1º ano.

 

Alunos do 2º ano.

 

Alunos do 3º ano.

 

Alunas do 4º ano.

 

Alunos do 4º ano e 5º ano.

 

Alunos do 4º ano e 5º ano.

 

Alunos do 4º ano e 5º ano em apresentação teatral.

 

Alunos da 5ª série.

 

Alunas da 6ª série.

 

Alunos da 7ª série.

 

Apresentação teatral dos alunos da 8ª série.