Inicial

Curiosidades da Cultura Gaúcha

1 Comentário

Origem da Bombacha

A época em que a bombacha começou a ser utilizada pelo gaúcho não é precisa. Existem várias versões para a sua origem. Uns afirmam que a bombacha foi introduzida por intermédio do comércio britânico na região do Rio da Prata, por volta de 1860, das sobras dos uniformes usados pelas forças coloniais, que copiavam as vestimentas dos povos conquistados. A bombacha seria, então, de origem turca, ou talvez espólio da Guerra da Criméia (como sustenta uma outra versão). Há também uma versão que diz que, durante a Invasão Moura na Península Ibérica, a calça larga teria se incorporado ao vestuário do norte da Espanha, na região chamada “La Maragateria” e depois trazida para a América do Sul pelos maragatos durante a colonização. Portanto, ela teria origem árabe. Por fim, a última tese é de que a bombacha teria vindo com os habitantes da Ilha da Madeira. No Rio Grande do Sul, a vestimenta passou a ser utilizada inicialmente pelos mais pobres, no trabalho nas estâncias, logo após a Guerra do Paraguai, por causa da sua funcionalidade. Depois, passou a ser usada por todos.


Como surgiu o termo “gaúcho”?

Existem várias teorias conflitantes sobre a origem do termo “gaúcho”. O vocábulo pode ter derivado do quíchua (idioma ameríndio andino) ou de árabe “chaucho” (um tipo de chicote para controlar manadas de animais). Além disso, há muitas hipóteses sobre o assunto. Um registro de seu uso se deu por volta de 1816, durante a independência da Argentina, com o qual se denominavam os índios nômades de pele escura, os gaúchos ou “charruas”, cavaleiros que domavam e cavalgavam “em pelo” os animais selvagens desgarrados das estâncias espanholas, que procriavam nos pampas argentinos.

Guanches ou Guanchos é o gentílico dos habitantes das Ilhas Canárias na fundação de Montevidéu. Quando o Rei da Espanha mandou casais de agricultores das ilhas Canárias povoarem a recém-fundada Montevidéu (1724), eles transplantaram a palavra pela qual identificavam os habitantes autóctones das ilhas: guanches, ou guanchos. Segundo a história, foi esta a origem da palavra gaúcho, com pequena distorção de pronúncia: guanches ou guanchos.

O gentílico “gaúcho” foi aplicado aos habitantes da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul na época do Império Brasileiro, por motivos políticos, para identificá-los como beligerantes até o final da Guerra dos Farrapos. Também importante para adoção dessa cultura viva para representação do Estado do Rio Grande do Sul é a influência do nativismo argentino, que no final do século XIX expressa a construção de uma das maiores culturas se não a maior do Brasil.


E o Chimarrão…de onde vem?

O chimarrão (ou mate) é uma bebida característica da cultura do sul da América do Sul. É um hábito legado pelas culturas indígenas quíchuas, aimarás e guaranis. Ainda hoje, é hábito fortemente arraigado no Sul do Brasil (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), parte da Bolívia e Chile, Uruguai, Paraguai e Argentina. É composto por uma cuia, uma bomba, erva-mate moída e água morna. O termo mate, como sinônimo de chimarrão, é mais utilizado nos países de língua castelhana. O termo “chimarrão” é o adotado no Brasil, embora seja um termo oriundo da palavra castelhana cimarrón, que designa, por sua vez, o gado domesticado que retornou ao estado de vida selvagem.

Fonte: Wikipedia

Anúncios

Cultura e História

Deixe um comentário

Os africanos

       A  cultura  africana  chegou ao Brasil com os povos escravizados trazidos  da África  durante  o  longo período  em  que  durou  o  tráfico negreiro   transatlântico. A diversidade  cultural  da  África refletiu-se  na  diversidade  dos escravos,  pertencentes  a  diversas etnias  que  falavam  idiomas diferentes  e  trouxeram  tradições distintas.  Os  africanos  trazidos  ao Brasil  incluíram  bantos,  nagôs  e jejes,  cujas  crenças  religiosas deram  origem  às  religiões  afro-brasileiras, e os hauçás e malês, de religião  islâmica  e  alfabetizados em árabe. Assim como a indígena, a  cultura  africana  foi  geralmente suprimida pelos colonizadores. Na colônia, os escravos aprendiam o português,  eram  batizados  com nomes portugueses e obrigados a se converter ao catolicismo.

Os  indígenas

A   cultura e os conhecimentos dos indígenas sobre a terra  foram determinantes durante a colonização, influenciando a língua, a  culinária,  o  folclore  e  o  uso  de objetos caseiros diversos como a  rede de descanso. O português brasileiro guarda, de fato, inúmeros termos de origem indígena,  especialmente derivados  do  Tupi-Guarani. De maneira  geral,  nomes  de  origem indígena   são  frequentes na designação  de  animais  e  plantas nativos  (jaguar,  capivara,  ipê, jacarandá, etc), além de serem muito frequentes na  toponímia por  todo o território.  A  influência  indígena é também forte no folclore do interior brasileiro,  povoado  de  seres fantásticos  como o  curupira, o saci-pererê, o boitatá e a  iara, entre outros. Na  culinária  brasileira,  a mandioca,  a  erva-mate, o açaí,  a jabuticaba, inúmeros  pescados  e outros  frutos  da  terra,  além  de pratos como os pirões, entraram na al mentação  brasileira  por inf luência indígena. Essa influência  se  faz  mais  forte  em certas regiões do país, principalmente  em  porções da Região Norte do Brasil.

Fonte: Site  Wikipedia/Cultura do Brasil

IMPORTANTE:

A Lei Nº 11.645, de 10 Março de 2008, altera a
Lei n  9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada
pela  Lei  n   10.639,  de  9  de  janeiro  de  2003,  que
estabelece as diretrizes e bases da educação nacional,
para  incluir  no  currículo  oficial  da  rede  de  ensino  a
obrigatoriedade da  temática “História e Cultura Afro-
Brasileira e  Indígena”.

Breve História do Futebol

Deixe um comentário

No dia 19 de julho comemora-se o dia nacional do futebol. A escolha da data se deu através da CBF, Confederação Brasileira de Futebol, para homenagear o primeiro time registrado como clube no Brasil, o Sport Clube Rio Grande, fundado em 1900. O futebol chegou ao Brasil em 1849, através de Charles Miller, que estudou na Inglaterra, onde aprendeu a dominar as técnicas futebolísticas. Ao retornar para o país, trouxe uma bola, uma agulha, uma bomba de encher e um uniforme. Com a divulgação do esporte, este se tornou uma paixão do povo brasileiro, fazendo do nosso país o maior campeão mundial. As primeiras regras do futebol foram criadas pela associação de futebol de Londres, na Inglaterra, através dos dirigentes dos clubes ingleses. Primeiramente elaboraram treze regras, mas em razão das necessidades, estas passaram para o número de dezessete. Em 1885 o esporte passou a ser profissionalizado, estimulando o aumento de sua prática, sua evolução técnica e tática. Em virtude de sua popularização por todo o mundo, foi criada uma organização internacional a fim de coordenar os interesses voltados para o esporte, a FIFA – Federação Internacional de Futebol Association.